O Ministério Público tentou, em 2017, localizar os pais e as duas crianças gémeas que viviam em condições deploráveis numa garagem na Amadora, tendo recorrido à PSP, Segurança Social e à Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEST).

Spread the love